24 de maio de 2009

Campo de Concentração de Sachsenhausen (II)

(Continuação da postagem anterior.)

O segundo campo visitado por mim durante minha viagem foi o de Sachsenhausen. Assim como o de Dachau, o campo de Sachsenhausen era um campo de concentração, não um campo de extermínio. O campo esteve ativo nas mãos dos nazistas desde meados de 1936 até abril de 1945, e de agosto de 1945 até aproximadamente 1950 Sachsenhausen serviu como um acampamento especial soviético.

Entrada do campo de concentração de Sachsenhausen

Entrada do campo de concentração de Sachsenhausen

Torre principal do campo de concentração de Sachsenhausen

O portão do campo de concentração de Sachsenhausen, com a infame frase "Arbeit Macht Frei" ("O Trabalho Liberta")

"Eles pareciam com medo. Pálidos com feição mórbida, lívidos, com rostos transparentes, nada além de pele e osso [...]. Pessoas cobertas com úlceras e feridas [...] choravam de alegria ao avistar nossos soldados -- especialmente, dentre eles, os poloneses, quando viam os soldados poloneses."

Devido à sua localização próxima a Berlim (distante 35 km da capital), o campo de Sachsenhausen tinha uma posição especial entre os campos de concentração alemães. O centro administrativo de todos os campos de concentração situava-se em Oranienburg, e Sachsenhausen transformou-se em um centro de aprendizado para os oficiais da Schutzstaffel (SS), local que atualmente é utilizado como centro de treinamento da polícia de Berlim.

Estrutura do campo de concentração de Sachsenhausen

Estrutura do campo de concentração de Sachsenhausen

Estrutura do campo de concentração de Sachsenhausen

Atual centro de treinamento da polícia alemã

(Continua na próxima postagem.)

Postar um comentário