18 de agosto de 2009

Auschwitz-Birkenau (VI)

(Continuação da postagem anterior.)

A primeira mulher chegou ao campo em 26 de março de 1942. Entre abril de 1943 e maio de 1944 levaram-se a cabo experimentos de esterilização em mulheres judias no bloco 10 de Auschwitz. O objetivo era o desenvolvimento de um método simples que funcionasse com uma injeção para ser utilizado na população eslava. O doutor Josef Mengele fez experimentos com gêmeos nesse mesmo complexo: destaca-se a experiência que pressupunha o uso de ácido nos olhos das crianças objetivando alterar a cor dos olhos. Quando um prisioneiro não se recuperava rapidamente, geralmente era executado com uma injeção letal de fenol.

Cozinha principal de Auschwitz I

Local no qual ocorriam os enforcamentos públicos

Cerca eletrificada próxima ao crematório

Cerca eletrificada próxima ao crematório

A câmara de gás e o crematório de Auschwitz I

Entrada da câmara de gás

Interior da câmara de gás

Local pelo qual o gás era inserido na câmara (visão interna)

Local pelo qual o gás era inserido na câmara (visão externa)

Crematório de Auschwitz I. Nota-se a presença de uma espécie de "pilão" que era utilizado durante a cremação. O objetivo era pressionar os corpos dentro do forno, quebrando os ossos dos prisioneiros já mortos, o que permitia a cremação de mais corpos por vez

O lado de fora do crematório. Nota-se a parede totalmente preta de fuligem

Um bordel foi criado no verão de 1943 por ordens de Himmler. Estava localizado no bloco 24 e era utilizado para premiar os prisioneiros privilegiados. Os guardas selecionavam prisioneiras para este campo, mas também aceitavam voluntárias atraídas pelas melhores condições alimentícias.

(Continua na próxima postagem.)

Postar um comentário