11 de setembro de 2007

A atuação da Santa Aliança e do Concerto Europeu na manutenção da paz na Europa no século XIX

O objetivo destas duas “instituições” era o mesmo: a manutenção da paz. Entretanto, deve-se destacar a diferença de época de atuação, bem como da forma de atuação dessas duas entidades.

A Santa Aliança foi uma instituição criada logo após o período das guerras napoleônicas. Seus “criadores” tinham como objetivo a manutenção da paz, mas mais por meio de mecanismos políticos e militares do que por meios econômicos -- principalmente por meio do princípio do equilíbrio de poder. Isto é explicado pela participação ativa das dinastias feudais e da Igreja na composição da Santa Aliança. Em outras palavras, o objetivo era a manutenção do poder político, anulando as conseqüências resultantes das turbulências ocorridas entre 1789 e 1815.

Vale ainda destacar o importante papel dos exércitos neste período. Assim, toda e qualquer tentativa de alteração da ordem era reprimida com os exércitos europeus, que varriam o território de um lado a outro acabando com quaisquer possíveis alterações na ordem estabelecida.

Chegamos, enfim, a 1848. Neste ano, diversas revoluções agitaram a Europa, e a estrutura do equilíbrio de poder -- na qual se baseava a Santa Aliança -- não conseguiu manter a ordem européia. Há a necessidade de um novo fator mantenedor da paz e da ordem, e este fator é a alta finança (ver postagem anterior). Surge, então, o chmado "Concerto Europeu".

O Concerto Europeu foi a outra “instituição” existente no século passado. Sua atuação deu-se na segunda metade do século XIX, e era fundamentado não só no equilíbrio de poder mas, principalmente, na alta finança -- “rede” de banqueiros e comerciantes que influenciava os governos nacionais e que fez de tudo para garantir a paz e a ordem por meio de fatores econômicos. Assim, o Concerto Europeu agiu de forma muito mais “sutil” do que a Santa Aliança, tendo em vista o fato de que o Concerto Europeu raramente se utilizava de exércitos para impor sua ordem. Ao invés disso, o Concerto Europeu utilizava o poder econômico para forçar os governos nacionais a manterem a ordem, e a manterem-se na ordem; aquele que não seguisse as regras do comércio internacional não seriam beneficiados com o capital “desenvolvimentista”.

Deve-se lembrar, contudo, que, além da alta finança, também o equilíbrio de poder entre as potências européias da época teve um papel fundamental no período do Concerto Europeu. Isto tanto é verdade que, quando os países europeus se aliaram uns aos outros, com a Inglaterra, a França e a Rússia de um lado, e a Alemanha, a Itália e o Império Austro-Húngaro de outro, este equilíbrio de poder deixou de existir -- pois passaram a existir apenas duas grandes forças econômicas, políticas e militares antagônicas --, o que levou à Primeira Guerra Mundial em 1914.


Postar um comentário